JUSTIFICATIVA

Há diversos pesquisadores no Brasil trabalhando com as Humanidades Digitais – sem necessariamente fazer uso deste nome. É o caso de projetos na área da linguística em conjunto com projetos de computação e matemática; de edições filológicas digitais, de projetos na área da literatura que se ocupam da poesia no meio digital; dos inúmeros historiadores, sociólogos e antropólogos cujas pesquisas utilizam e geram bancos de dados eletrônicos; e dos cientistas da informação envolvidos na construção de bibliotecas e outros acervos digitais.

Na Universidade de São Paulo um grupo de pesquisadores com experiência em Linguística Computacional, Linguística Histórica, Ciência da Computação, História e Edição Filológica Digital criaram, em 2011, um grupo de pesquisa cadastrado no Diretório de Pesquisa do CNPq, com o título Humanidades Digitais, sob a coordenação da professora doutora Maria Clara Paixão de Sousa. O professor Dr. Patrício Barreiros da UEFS é um dos pesquisadores integrantes desse grupo de pesquisa.

No âmbito brasileiro, o grupo de pesquisa da USP foi o primeiro a utilizar o rótulo de Humanidades Digitais e em outubro de 2013 organizou o I Seminário Internacional em Humanidades Digitais no Brasil, com participação de pesquisadores de diversas partes do mundo. O professor Dr. Patrício Barreiros da UEFS participou do Seminário como conferencista convidado, apresentando sua pesquisa na área de humanidades digitais, A hiperedição dos panfletos de Eulálio Motta.
Em setembro de 2013, durante o Workshop on construction and use of large annotated corpus, na Universidade Estadual de Campinas, surgiu a ideia de se criar uma Associação de Humanidades Digitais que agregasse pesquisadores unidos pela língua portuguesa e pela inclusão da perspectiva digital em seu horizonte de pesquisa.

No workshop da UNICAMP, participaram do debate para a criação da Associação das Humanidades Digitais cinco professores da UEFS, Dra. Zenaide Carneiro, Dra. Mariana Fagundes, Dr. Patrício Nunes Barreiros, Ms. Huda Santiago, Esp. Telma Garrido e cinco bolsistas de Iniciação Científica.  No seminário da USP, em novembro de 2013, foi oficialmente anunciada a criação da Associação das Humanidades Digitais (AHDig) e o professor Doutor Patrício Nunes Barreiros participou da fundação da associação e assumiu a função de secretário.

O objetivo da AHDig é fortalecer as iniciativas em Humanidades Digitais já ativas no universo dos falantes do português, e promover novas iniciativas nesse campo. A AHDig tem como objetivo promover debates entre os pesquisadores e favorecer a troca de experiências, tecendo redes no interior dessa esfera cultural e linguística, que possam levar ao trabalho colaborativo e ao aumento da visibilidade internacional dos projetos em Humanidades Digitais conduzidos em português.

A AHDig foi fundada em 25 de outubro de 2013 por pesquisadores portugueses e brasileiros, e está aberta a novos participantes ligados à reflexão sobre o digital em qualquer parte do mundo, que falem ou conduzam suas pesquisas em português, ou que tenham interesse em investigar as múltiplas esferas da expressão cultural nessa língua.
Os pesquisadores vinculados à AHDig comprometeram-se em fortalecer a pesquisa na área das Humanidades Digitais em suas instituições de origem. Desse modo, a criação do NeiHD é uma iniciativa que visa cumprir uma agenda definida no I Seminário Internacional de Humanidades Digitais no Brasil e pela diretoria da AHDig.

Os pesquisadores do DLA, da UEFS que estão vinculados à ADHig e a projetos nas áreas de Linguística Computacional, Edição Filológica Digital, Digitalização de Acervos de Escritores e Tecnologia Aplicada ao Ensino de Línguas e Literaturas fazem parte do Grupo de Estudos Interdisciplinares em Humanidades Digitais cadastrado no Diretório de Pesquisa do CNPq e é um desdobramento do Grupo de Estudo Interdisciplinar de Acervos de Escritores.

O DLA já tem projetos de pesquisa com tradição na área das Humanidades Digitais. O Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão [CE-DOHS] (FAPESB 5566/2010 e 202/2010), coordenado pelas professoras doutoras Zenaide Carneiro e Mariana Fagundes, e está vinculado ao Projeto Corpus Histórico do Português Tycho Brahe, o primeiro projeto de corpus eletrônico para o estudo da língua portuguesa; e o Projeto Edição das Obras Inéditas de Eulálio Motta (128/2008), coordenado pelo professor doutor Patrício Barreiros, que prevê a digitalização, edição e disponibilização da obra do escritor através da Web. A tese de doutorado do professor doutor Patrício Barreiros que propôs uma reflexão teórica acerca da inserção da filologia no universo digital e apresentou um modelo de hiperedição publicada no domínio http://www.eulaliomotta.com.br é uma referência na área das humanidades digitais.
O Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Humanidades Digitais tem a função de consolidar os estudos nessa área, ampliar os projetos já existentes e contribuir para a criação de novos projetos. Nesse sentido, foram criados Grupos de Trabalhos agregando pesquisadores e estudantes da UEFS e de outras Universidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s